A MODELO, EMPRESÁRIA E CADEIRANTE CAROLINE MARQUES DA REGIÃO DO GRANDE ABC VEM SE DESTACANDO COM TRABALHOS VOLTADOS A INCLUSÃO SOCIAL.

Com toda a crise que assombra o nosso país, e seguindo as orientações do ministério da saúde, mesmo fazendo parte do grupo de risco, Caroline se dedica mesmo de casa, criando os projetos sociais, voltados a inclusão, principalmente das pessoas com deficiência.

Desde jovem trabalha em projetos sociais, e vem promovendo projetos de inclusão de pessoas com deficiência na sociedade, proteção aos animais, direitos da mulher e serviços gratuitos em comunidades com vulnerabilidade sociais;

Caroline Marques de 38 anos participa e se dedica também ao projeto “Sem Barreiras” que oferece, gratuitamente, curso para pessoas com deficiências em pilotagem de drones, capacitação para a produção de foto e filmagem aérea, orientações sobre o mercado de trabalho, regulamentação, funcionamento da aeronave, configurações de vôo, conceitos de Fotografia, entre outros temas.

Com sua garra e força, Caroline tem propagado sua ação em programas de TVs como Super Pop, Daniela Albuquerque, Adriane Galisteu, Eliana, Alessandra Scatena entre outros.

“Minha luta será eterna por uma sociedade mais inclusiva e pela acessibilidade para todos” declara Caroline

Caroline Marques nasceu em Santo André, fixou residência em São Bernardo – SP, 38 anos, paraplégica, mãe, formada em processamento de dados, apresentadora tv, modelo e empresária. Foi Presidente da Organização Social “Viver em Igualdade, apresentou a primeira temporada do programa “Viver Eficiente”, o qual tratava de assuntos relacionados às pessoas com deficiência, organizou ações para adoção de animais, realizou ações voluntárias levando profissionais de áreas diversas. Participou de eventos para a valorização e direitos das mulheres, participou de diversos trabalhos publicitários e editoriais de moda voltada a área da pessoa com deficiência. Nomeada Miss Brasil Cadeirante, a empresária é apoiadora do projeto “Sem Barreiras” .

Após seu acidente automobilístico em 1991, no qual ficou paraplégica, iniciou sua luta para aprender a viver respeitando suas diferenças e se incluir na sociedade.

Após meses de internação e cirurgias no Hospital Brasil, iniciou sua reabilitação na AACD ( Associação de Assistência à Criança Deficiente), Hospital das Clínicas de São Paulo, fazendo fisioterapia, hidroterapia e outras terapias em busca de melhorias e independência.

Em 2016 foi candidata a vereadora em São Bernardo do Campo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: